sexta-feira, 13 de março de 2015

...

Complicar o que era fácil. Óbvio, era o que mais me impressionava. Hipnotizava. Era irremediável, estonteante. Eu via alegrias sutis nos meus passos errados. la me arrumando lentamente, até me encontrar. Porções tranquilas, sem surpresas, indagações e dúvidas nunca me fizeram inteira, ficavam pra escanteio. Eu me delimitava a imperfeita, e assim me fazia feliz. Porque - por mais incrível que pareça - há quem goste do meu jeito bagunçado de ser. É doce, se você experimentar.

(Aline M. Abdalah)

terça-feira, 10 de março de 2015

...

Mas passado é bom pra relembrar, nem sempre pra reviver. As importâncias vão mudando de ordem e não é tão simples reverter as posições.

(Aline M. Abdalah)

sábado, 7 de março de 2015

...

A verdade é que não fazemos nem ideia de até onde dá para ser feliz, e acabamos nos limitando por isso. Colocamos barreiras, impedimentos, desculpas e milhões de quinquilharias que só nos atrasam e retém nossas energias. "Deixa pra amanhã..."; "Isso é difícil, não vou conseguir!"; "Ele é bonito demais pra mim!"; "Não mereço tantos elogios!"; "A vida  só é fácil pros outros, pra mim ela ta sempre endurecendo..." Que mania chata que temos em minar nossos pensamentos! Depois não sabemos porque a vida não segue adiante...
(Aline M. Abdalah)

quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

...

Na vida real não se pode voltar atrás como se nada tivesse acontecido. É por isso que devemos saber dosar nossas atitudes, e empregá-las em situações que queremos que sejam duráveis. Fazer com que cada momento seja inesquecível, pelo simples fato dele não se repetir jamais da mesma forma. Cada momento é único e exige dedicação para que além de único, seja especial.

A sua felicidade depende de alguém ou de algo para acontecer? Depende só de você e da sua força de vontade! Não delegue esta responsabilidade.

Se você mesmo não se enfrenta, nem seus medos nem seus desejos saem do lugar. Seus medos permanecem ali, incomodando; e seus desejos ficam estagnados, sem a menor possibilidade de realização.

( Aline M. Abdalah)

sábado, 7 de junho de 2014

...


...


Casamento: Modo se usar

Case-se com alguém que adore te escutar contando algo banal como o preço abusivo dos tomates, ou que entenda quando você precisar filosofar sobre os desamores de Nietzsche.
Case-se com alguém que você também adore ouvir. É fácil reconhecer uma voz com quem se deve casar; ela te tranquiliza e ao mesmo tempo te deixa eufórico como em sua infância, quando se ouvia o som do portão abrindo, dos pais finalmente chegando. Observe se não há desespero ou insegurança no silêncio mútuo, assim sendo, case-se.
Se aquela pessoa não te faz rir, também não serve para casar. Vai chegar a hora em que tudo o que vocês poderão fazer é rir de si mesmos. E não há nada mais cruel do que estar em apuros com alguém sem espontaneidade, sem vida nos olhos.
Case-se com alguém cheio de defeitos, irritante que seja, mas desconfie dos perfeitinhos que não se despenteiam. Fuja de quem conta pequenas mentiras durante o dia. Observe o caráter, antes de perceber as caspas.
Case-se com alguém por quem tenha tesão. Principalmente tesão de vida. Alguém que não lhe peça para melhorar, que não o critique gratuitamente, alguém que simplesmente seja tão gracioso e admirável que impregne em você a vontade de ser melhor e maior, para si mesmo.
Para se casar, bastam pequenas habilidades. Certifique-se de que um dos dois sabe cumpri-las. É preciso ter quem troque lâmpadas e quem siga uma receita sem atear fogo na cozinha; é preciso ter alguém que saiba fazer massagem nos pés e alguém que saiba escolher verduras no mercado. E assim segue-se: um faz bolinho de chuva, o outro escolhe bons filmes; um pendura o quadro e o outro cuida para que não fique torto. Tem aquele que escolhe os presentes para as festas de criança e aquele que sabe furar uma parede, e só a parede por ora. Essa é uma das grandes graças da coisa toda, ter uma boa equipe de dois.
Passamos tanto tempo observando se nos encaixamos na cama, se sentimos estalinhos no beijo, se nossos signos se complementam no zodíaco, que deixamos de prestar atenção no que realmente importa: os valores. Essa palavra antiga e, hoje assustadora, nunca deveria sair de moda.
Os lábios se buscam, os corpos encontram espaços, mas quando duas pessoas olham em direções diferentes, simplesmente não podem caminhar juntas. É duro, mas é a verdade. Sabendo que caminho quer trilhar, relaxe! A pessoa certa para casar certamente já o anda trilhando. Como reconhecê-la? Vocês estarão rindo. Rindo-se.

(Diego Engenho Novo)

segunda-feira, 5 de maio de 2014

...


...


domingo, 20 de abril de 2014

...

Esvaziar-se dos sonhos não pode ser uma tarefa de desistência, mas de cumprimento. Esvazie-se daquilo que você já galgou para arremessar-se em distâncias cada vez maiores. Quando uma fase está completa, as metas mudam, e a maneira de agir deve acompanhar essa mudança. Comportamentos semelhantes, levam a resultados já esperados. Se quer novidade, comece dentro de si a inovação.

(Aline M. Abdalah)

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

...

Conclusão de Fim de Ano:

A gente precisa é largar de deixar tudo pra 'depois'. Porque 'depois' já passou da hora, aí tanto faz... E quando 'tanto faz' - na verdade - nem faz mais tanto sentido assim...
 
(Aline M. Abdalah)
 

domingo, 1 de dezembro de 2013

NUNCA DESISTA DOS SEUS SONHOS!


...

Aí o cara anda contigo pra cima e pra baixo - literalmente falando - e não quer saber de outra vida que seja longe da sua, mas na frente dos amiguinhos quer dar uma de garanhão e se fazer de esperto. Sai pra lá, despacho! Esperto é quem dá valor ao que se tem, ao que faz sorrir! Menina, olhe adiante, olhe mais longe! Descarrega! Desapega! Se ele não tratar de logo tomar jeito e vergonha na cara, trate você de fazer isso no lugar dele. Cuide-se! Tonifique-se, realce-se! Só aceita bagunça quem se contenta com pouco, quase nada. Ou ele te quer pra valer ou você se faz valer: Sai fora, gata!

(Aline M. Abdalah)


...


...

Nunca mostre tua poesia a um insensível,
assim como nunca desperdice teu amor com um idiota.

(Aline M. Abdalah)


domingo, 17 de novembro de 2013

...

Às vezes o mundo tem que girar
pra gente saber onde quer ficar...

(Aline M. Abdalah)


...

Algumas coisas acontecem não para termos certeza, mas para levarmos em consideração a dúvida...

(Aline M. Abdalah)





segunda-feira, 7 de outubro de 2013

...

O que às vezes a gente demora a perceber é que nem sempre se tem a chance de dar o troco, nem sempre o mundo dá voltas e para no mesmo lugar pra nos dar a oportunidade de retomar aquela velha história e sair por cima desta vez. Às vezes, eu diria até que “muitas vezes”, temos um destino tão melhor, um caminho tão mais gostoso a percorrer que seria perda de tempo aparar as arestas com quem não vale mesmo a pena e não tem mais a menor importância. O tempo é demasiadamente curto e passa rápido, mas ser feliz não é coisa rara, é mais comum do que a gente pensa. Ser feliz é coisa que não se espalha, e é por isso que em tantos casos a gente nem fica sabendo. Ser feliz é tentativa, é errar e tentar de novo; é se decepcionar e enfim aprender com os erros; é não jogar a responsabilidade nos outros, porque a felicidade é pra depender só da gente, é tentar, e tentar novamente, sem cansar, até conseguir; é simplesmente sorrir e ir vivendo por aí...

(Aline M. Abdalah)